TJ afasta administrador da massa falida do Cruzeiro do Sul

A 4ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu, por unanimidade, afastar Vânio Aguiar da administração da massa falida do Banco Cruzeiro do Sul.

O relator Enio Santarelli Zuliani considerou que o fato de Aguiar acumular também o comando da massa falida do Banco Santos configurava conflito de interesse, acolhendo recurso impetrado pelos antigos advogados do dono do Cruzeiro do Sul, Luís Octávio Índio da Costa.

O voto do relator foi acompanhado pelos desembargadores Fernando Antônio Maia da Cunha e Carlos Teixeira Leite Filho na sessão da 4ª Câmara na tarde desta quarta (16).
A massa do Banco Santos cobra na Justiça cerca de R$ 300 milhões do Banco Cruzeiro do Sul ­ o que tornou Vânio Aguiar simultaneamente administrador das duas partes do mesmo litígio.

O pedido de afastamento de Vânio Aguiar havia sido rejeitado pelo juiz da 2ª Vara de Falências de São Paulo, Paulo Furtado, que nomeou um administrador “ad hoc” para representar o Cruzeiro do Sul no litígio específico com o Banco Santos.

O TJ, agora, reformou a decisão e afastou Aguiar do Cruzeiro do Sul. Caberá ao juiz da 2ª Vara de Falências nomear um novo administrador.

O Cruzeiro do Sul entrou em liquidação judicial em setembro de 2012 por decisão do Banco Central. O Banco Santos quebrou em 2005.

A Folha procurou Vânio Aguiar, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/12/1719932-tj-afasta-administrador-da-massa-falida-do-cruzeiro-do-sul.shtml